Especiais

Loading...

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

A COBRA E O VAGALUME - SAÚDE E LUZ



Conta-se que uma cobra começou a perseguir um vagalume.
Fugiu um dia e ela não desistia, dois dias e nada.
No terceiro dia, já sem forças, o vagalume
Parou e disse à cobra:
Posso lhe fazer três perguntas?
Pertenço à tua cadeia alimentar?
Não.
Eu te fiz algum mal?
Não.
Então, por que você quer acabar comigo?
E a cobra responde:
Porque não suporto ver você brilhar...
(Autor desconhecido)



11 comentários:

  1. Olá Ricardo
    Boa noite
    E o vagalume fala: eu sou assim, eu nasci assim, não tenho culpa de ser assim.
    Penso, que todos nós temos o brilho interior. Nascemos para brilhar, com alegrias, fazer bem ao próximo , amar sempre.Quando isso acontece o brilho se revela. Mas assusta aqueles que não querem brilhar, e incomoda a muitos.
    Mas prefero o caminho das luzes.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vejo assim também!

      TODOS nós "temos" o brilho pois somos luz...

      Abraço

      Excluir
  2. Oi Ricardo!

    Acho que aqueles que, por alguma razão, conscientemente ou não reprimem sua luz (pois acho que todos a temos), tendem a ter inveja da luz do outro. Esquecem-se que a luz de cada um de nós pode brilhar de maneira diferente. iluminando diferentes aspectos da Vida e da Realidade...

    Esta fábula me lembra, também, a do sapo e do escorpião...

    Grande abraço,

    Leonel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Leonel,

      Pois é, tenho pensado sobre esta questão de termos luz ou sermos luz. Acredito que o ser inclui o ter em si; que o ter é temporal e o ser atemporal. Veja você, faça uma brincadeira, se me permite. Pronuncie a letra "s" e depois a letra "t", cada qual em seu tempo e separadas, e veja em seu interior os diferentes movimentos que cada uma delas causa... Alguma se sustenta? Alguma se extingue em si? Benesses de nossa língua...

      Penso ainda que a temporalidade do ter é a veste do ser... Esquisito? Use este "óculos" e veja como se sente...

      Quanto à fábula do escorpião e do sapo, com toda sua profundidade, é um desafio ver sua luz, que sei estar lá! Como nosso amigo pôde fazer aquilo com o batráquio? Que trabalho entender a natureza como ela é, ao invés de acreditar que ela seja como gostaríamos que fosse, não é mesmo?

      Ver a luz na escuridão privilégio daquele que tem um bom coração...

      Grande abraço meu irmão

      Excluir
    2. É uma boa questão, Ricardo! Temos luz ou somos luz? Que tal ambos, temos luz enquanto seres temporais (nossa presente existência) e somos luz enquanto seres atemporais (espíritos imortais)?

      Talvez uma maneira de entendermos o escorpião seja olharmos nossa sombra (conforme Jung)e descobrimos nela aspectos atuais ou ecos de um passado que nos fazem ou fizeram mais próximos do escorpião. Descobrimos esses aspectos ou ecos não significa compactuarmos com eles, mas reconhece-los e, assim, trazendo-os á luz da consciência, elaborá-los, ajudando a esses aspectos mais primitivos da nossa psique a evoluir. Desta forma, deixamos de projetá-los nos outros, criando "demônios" e "monstros" exteriores, por não reconhecer nossos próprios demônios e monstros.

      Grande abraço!

      Leonel

      Excluir
    3. Opa!

      Fez todo sentido para mim!

      Abraço e gratidão!

      Excluir
  3. Não tá fácil pra ninguém... Não tá fácil pro vagalume. Não tá fácil pra ninguém. Tendo ou sendo ou só brilhando. Esses dias mesmo vi um pisca pisca com medo, rs. As cobras podem perseguir um vagalume, mas não podem apagar as luzes do natal. Pica que pisca, rs...
    Bjs Rik's.

    May

    ResponderExcluir
  4. Ao meu ver a cobra não enxergava o seu próprio brilho e caçava a dos outros.
    E sempre mais fácil, olharmos o de fora. Este todo cheio de impressões e ilusões, de verdades inexistentes. Tipo televisão. Todo ele divertido e colorido. Que no fundo são lágrimas de palhaço.
    Vivemos atrás de luzes exteriores, por que esquecemos de ascender a nossa chama interna

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ki!

      Vc me fez lembrar aquela frase do Confúcio:

      O HOMEM REALIZADO PROCURA O QUE EXISTE DENTRO DE SI
      O HOMEM FRUSTRADO PROCURA O QUE APARECE NOS OUTROS

      Apareça sempre!

      Um beijo

      Excluir
  5. Percorrendo o caminho traçado de nossas vidas existem tarefas obrigatórias que não devem ser esquecidas, pois elas tratam da nossa imagem para nós mesmos - saúde do nosso corpo e de nossa alma, delas dependem o nosso caminhar e as nossas relações com o entorno para ser Feliz.

    MLB

    ResponderExcluir