Especiais

Loading...

terça-feira, 21 de março de 2017

SOBRE EDUCAÇÃO INFANTIL


Precisamos nos esmerar na educação infantil, assim em muito pouco tempo serão necessários menos hospitais, presídios, partidos e manicômios; quem sabe ainda no médio e longo prazo possamos abrir mão da classe política em favor de uma nova qualidade de seres, quiçá humanos!
As minorias, cuja expressão máxima hoje é representada pelos políticos, têm se apresentado como vítimas. Vítimas inimputáveis que disputam e computam o que podem a seu favor. É preciso rever o sentido da palavra preconceito e aplicá-la com propriedade onde ela sirva como prevenção do aleijão, seja ele moral, social, animal, carnaval, decimal ou débil mental.
Quatro breves histórias, em forma de animações, lembram parte importante da educação infantil primária para a saúde quanto aos quesitos:
Paciência e disciplina: https://youtu.be/Klx8UBMRrMA
Zelar, não matar o ideal na criança: https://vimeo.com/194276412

E você, acredita em educação infantil ou domesticação infantil?
As fragilidades psicológicas decorrentes da baixa qualidade da educação infantil podem ser contornadas com o auxílio da Arte. Alain de Botton e John Armstrong nos dão pistas sobre como isso poderia ser feito:


A arte é um corretivo da memória fraca, pois torna os frutos da experiência memoráveis e renováveis; a arte é um provedor de esperança, pois mantém à vista coisas alegres e agradáveis; a arte é uma fonte de dignidade para o sofrimento, pois nos lembra o lugar legítimo do sofrimento numa boa vida; a arte é um agente de equilíbrio, pois codifica com invulgar clareza a essência das nossas boas qualidades; a arte é um guia para o autoconhecimento, pois ajuda a identificar o que é central para nós, mas difícil de expressar em palavras; a arte é um guia para a ampliação da experiência, pois nos oferece alguns dos exemplos mais eloquentes das vozes de outras culturas; a arte é um instrumento de recuperação da sensibilidade, pois remove nossa casca e nos salva do habitual descaso pelo que há ao redor.

Quando vir alguém fazendo arte, não se altere, observe suas emoções, silencie para então alegrar-se!

2 comentários:

  1. Amei o texto e o vídeo "viver e existir" . Gratidão pela reflexão.

    ResponderExcluir
  2. Querido amigo doutor,

    Adorei esse email, os vídeos, suas palavras sobre viver e existir.
    Também me sensibilizou a forma amorosa com que você fala sobre a Arte.

    Como sempre eu tentei deixar um depoimento no seu blog, mas quando coloco o email não dá certo..rs.

    Creio piamente que a revitalização da sensibilidade é um dos maiores e melhores efeitos que a Arte provoca em nós. Eu como Arteterapeuta e escultora que sou, tenho essa premissa como base do meu trabalho.Na educação infantil então, a Arte é uma semente de esperança assim como o foram as sementes dos carvalhos na vila do pastor.

    Viver e Existir são condições humanas que foram amplamente debatidas no curso que fiz na França. Às vezes não nos damos conta dessa diferença tão fundamental.

    Muito obrigada,

    Beijo enorme,

    Zília

    ResponderExcluir